REPORTAGENS











=========================================================================================

O jardim sonoro do legionário fiel

Dado Villa-Lobos traz à cidade sons da Legião Urbana e suas novas canções

Correio de Uberlândia - 19/01/2007
Adreana Oliveira

        Dado Villa-Lobos vem a Uberlândia divulgar seu trabalho-solo Jardim de Cactos; ele apresenta esta noite no London Pub         Uberlândia receberá nesta noite, pela primeira vez em show-solo, Dado Villa-Lobos. O músico, ex-guitarrista da Legião Urbana, se apresenta no London Pub na turnê de "Jardim de Cactus" (EMI), seu primeiro trabalho-solo que foi apresentado ao Brasil no formato ao vivo "MTV Apresenta". Na hora de definir o disco, Dado diz ser formado por fragmentos de tudo que foi determinante em sua formação pessoal, do pai tocando Chopin ao Jesus and Mary Chain. "Acabo fazendo um tipo de rock. É isso que sou e pode ser percebido por meio da música", contou o guitarrista em entrevista concedida via e-mail.

        Entre as 16 canções deste trabalho, "Conexão Amazônica", da Legião. "A escolha, juntamente com a participação do Dinho e dos Paralamas foi totalmente emocional e de enorme valor sentimental", comentou. Ele afirma que são todos cúmplices infanto-juvenis. "Crescemos juntos e foi fabuloso estarmos ali naquele momento tocando aquela canção, pulsante, tribal. Deu mais força ao projeto", recordou.

        "Jardim de Cactus", a versão em estúdio, está disponível para download gratuito no site www.dadovilla-lobos.com.br. A decisão de lançá-lo no formato ao vivo veio da desilusão de Dado com o mercado fonográfico nacional. "Recebi o convite para fazer o "MTV Apresenta" a partir do disco que havia acabado de realizar no final de 2004", comentou. Para ele, o convite era irrecusável, visto a incapacidade da indústria de vender o formato CD e optar agora basicamente pelo DVD ao vivo. "A aliança com a MTV nesse caso ajuda muito", explicou.

        Há 13 anos à frente do selo Rock It (www.rockit.com.br), ele sabe bem do que está falando. Afirma não esquecer a frase do general De Gaulle, em visita ao Brasil na década de 60: "esse não é um país sério". Segundo Dado, o general foi gentil. "Como diria meu amigo Fausto Fawcett, "o Brasil é um abismo que nunca chega"." A indústria fonográfica é um lixo, os motivos são inumeráveis, desabafou.

        Seria imprudente ignorar a opinião de um sobrinho neto de Heitor Villa-Lobos, ex-guitarrista da Legião Urbana, músico, empresário e cidadão. Mas, talvez Dado se enquadre mesmo na categoria artista. Nos dez anos que se passaram do fim da Legião, ele não parou e não ficou naquela de viver de glórias passadas. Além do selo, produziu trilhas sonoras - entre elas, as premiadas de "Bufo & Spallanzanni" (Melhor Trilha Sonora no Festival do Cinema Brasileiro, em Miami) e "Pro Dia Nascer Feliz" (Kikito de Melhor Trilha Sonora no Festival de Gramado de 2006). Quando não está trabalhando, a compor ou a produzir, Dado adora esportes. "Futebol, tênis, vela, ciclismo e na seqüência uma gelada, porque ninguém é de ferro!"

        "A carga tributária será paga!"
        O show desta noite é um tributo a Legião Urbana com Dado Villa-Lobos, mas você pode esperar muito mais. "É basicamente entretenimento, nada melhor do que o repertório da Legião para tal", comentou. E não pára por aí. Tem ainda Bob Dylan, os já citados Jesus and Mary Chain, entre outras surpresas. "A carga tributária será paga!", brincou o músico. O show está bem equilibrado com canções da Legião Urbana, algumas óbvias, outras nem tanto, e o repertório do "Jardim de Cactus". "É sempre bem intenso e, claro, divertido", apostou.

        Será que ele se recorda das passagens da Legião Urbana por aqui? "Claro! E não foram poucas! Todas as turnês passavam por Uberlândia e não foi à toa, sempre foi bacana. A recepção a melhor possível", lembrou.

        Se aventurar como vocalista não foi tarefa fácil, mas nada que a perseverança não resolva. "É sempre diferente, como aprender um novo instrumento. Tive o melhor dos professores...", declarou. A aparência frágil e tímida que apresenta pode não ser o que parece. Assim como não se encaixa seu perfil jovial os 41 anos. "As pessoas confundem timidez com serenidade e certa calma. A verdade é que foi um grande desafio e no momento tenho tudo, ou quase tudo, sob controle.

        Nascido na Bélgica, mas com coração e alma brasileiros, Dado, que hoje mora no Rio de Janeiro, lembra-se com carinho de Brasília, o pólo do B-Rock. A cidade hoje representa para ele o cenário da sua infância e adolescência. "Chego em Brasília e imediatamente passa o filme da minha vida. Sou um sentimental incorrigível", argumentou.

        Na atual fase, Dado segue aprendendo e empreendendo sempre. "Como primeiro trabalho digamos "subsolo", "Jardim de Cactus" foi excepcional, um megadesafio ao longo desse tempo todo", comentou. O que mais o fascina quando é poder fazer novas canções, experimentar novos formatos, sonoridades e gerar diferentes emoções. Nas turnês, está redescobrindo o que seria "o público". "Jovens espertos? Jovens adultos, adultos jovens? Acho que em geral esperam alguma relação com a Legião, mas também estão esperando algo a mais", enfatizou. No final dos shows, afirma, as pessoas se surpreendem e ele mais ainda.

        Muitos músicos e bandas o procuram para pedir conselhos e ele deixa uma dica para quem pretende viver de música no Brasil. "Meu filho, vai estudar e virar médico, advogado!", brincou. "Eu digo sempre que, quando é para valer, o cara sabe onde chegar. Crie seu público e contagie as pessoas com sua música, e assim é desde a Grécia Antiga", finalizou.


SERVIÇO: Show com Dado Villa-Lobos, no London Pub, a partir das 22h, em Uberlândia. Ingresso antecipado R$ 15. Informações: 3214-0470.

Topo


"Não sei nem se estou mais na minha, nem na sua vida"
"Não percebi correntes me prendendo aqui até o instante em que tentei partir."
Fã-Clube Oficial Dado Villa-Lobos. All rights reserved.
Developed by Roberta Raquel Leismann