REPORTAGENS











=========================================================================================

Movimento contra o jabá faz audiência pública no RJ

O Globo - 03/08/2006

        Uma audiência pública contra o jabá no meio musical rolou nesta quarta na Assembléia estadual do Rio com a presença de deputados, músicos, organizações e do Ministério da Cultura. Os deputados Gilberto Palmares e Caros Minc são autores de um projeto que criminaliza o jabá. Algumas intervenções que foram enviadas por Bia Grabois e Mariana Leporace do movimento Jabásta.

        - Lobão falou sobre o desrespeito que é a prática do jabá e citou a entrevista do Tutinha [dono da rádio Jovem Pan], em como ele fala abertamente que pratica o jabá e não é punido.

        - Marcelo Yuka falou que é preciso prestar atenção em como são dadas as concessões públicas no Brasil e ainda: "imaginem se o Tutinha virar evangélico, aí estamos perdidos!".

        - Dado Villa-Lobos disse que este é um caminho sem volta, que é preciso ir em frente com a criminalização do jabá.

        - Bia Grabois defendeu que tudo que se caracteriza como jabá deve ser criminalizado: troca de favores, privilégios, propinas e também o jabá ''maquiado'', porque música não é anúncio.

        - Leo Gandelman falou da falta de músicas de qualidade nas rádios e TVs e defendeu uma maneira de exigir espaço para outros tipos de música.

        - Defendeu-se a inclusão no projeto de lei de penalidade de perda da concessão para as emissoras que praticam o jabá.

        - O Jabásta vai organizar um show a favor da criminalização do jabá para setembro no Circo Voador e vai começar palestras de esclarecimento em escolas e universidades.

        Participaram da mesa os deputados Gilberto Palmares e Carlos Minc, Bia Grabois do jabásta, Adair Rocha do Ministério da Cultura, Leo Gandelman, Lobão e Dado Villa-lobos. E representantes de várias organizações: Tião Santos (Viva Rio), Forum Permanente da Música (Tibério Gaspar e Ana Terra), Sindicato dos Músicos (Debora Sheni), Núcleo Independente da Música (o grupo do Ivan Lins e Fernanda Abreu), Força Armada (representando o rap), Circo Voador e rádios comunitárias.


"Não sei nem se estou mais na minha, nem na sua vida"
"Não percebi correntes me prendendo aqui até o instante em que tentei partir."
Fã-Clube Oficial Dado Villa-Lobos. All rights reserved.
Developed by Roberta Raquel Leismann