REPORTAGENS











=========================================================================================

Morte de Renato Russo não reduz o fascínio pela Legião Urbana

10/07/1997

        Nem a morte de Renato Russo, em outubro do ano passado, serviu para encerrar o ciclo Legião Urbana dentro do rock nacional. Apesar de, oficialmente, a banda já ter acabado, os fãs do grupo de Brasília ainda terão o prazer de ouvir algumas séries de canções inéditas ao som da voz grave de Russo. Isso porque a EMI-Odeon prepara para o dia 18 o lançamento de Uma Outra Estação, álbum que reunirá 15 canções inéditas (uma delas, As Flores do Mal, já está tocando nas rádios de todo o País), que deveriam ter entrado no disco anterior, A Tempestade, lançado em 1996.

        A Tempestade estava programado na verdade para ser um CD duplo. "Essa era à vontade de Renato", conta o baterista Marcelo Bonfá. Mas tudo indica que os problemas de saúde do cantor e as exigências da gravadora impediram que o disco fosse para as lojas do jeito que o líder da banda queria.

        Bonfá e o guitarrista Dado Villa-Lobos não tiveram muito trabalho para finalizar o novo álbum. Estava quase tudo pronto. Só algumas canções, que estavam apenas com a voz e o violão de Russo, tiveram de ganhar bateria e guitarra.

        Os dois músicos ficaram satisfeitos com o resultado. Acham que Uma Outra Estação é um CD mais acessível que o anterior. Um dos destaques é a faixa Clarice, com cerca de 12 minutos de duração. No primeiro momento, foi divulgado que a música era uma homenagem a uma fã da banda. Mas, segundo Bonfá, Clarice é uma canção autobiográfica: "Acho que o Renato é a própria menina da letra."

        Os projetos com o nome do grupo não param por aí. Tudo indica que logo depois de Uma Outra Estação, a gravadora deve lançar um disco ao vivo da banda, com gravações inéditas de shows. "Temos um grande material ao vivo que não foi aproveitado", revela Villa-Lobos.

        Certo mesmo é o documentário da HBO, Música Urbana, que contará a trajetória do rock brasileiro desde os anos 80. Com roteiro de Hermano Vianna, o filme será dirigido por Flávio Tambellini (que produziu também o longa-metragem A Ostra e o Vento, que competirá em agosto no Festival de Veneza) e supervisionado por Villa-Lobos. "A nossa idéia é reunir depoimentos inéditos de Renato Russo e entrevistar todos os grupos de rock dos anos 80", diz o diretor.

        O documentário, que deve ser apresentado em outubro, será acompanhado de uma trilha sonora com grupos cantando sucessos da Legião. O disco, gravado pelo selo Rock It (de propriedade de Villa-Lobos), terá a participação de bandas e artistas como Max Cavalera (um dos mais empolgados com o projeto), Cássia Eller, Cidade Negra, Raimundos, Planet Hemp, O Rappa, Skank, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso e Pato Fu. "Parte do dinheiro desse trabalho será destinada à Sociedade Viva Cazuza", explica Sérgio Espírito Santo, produtor-executivo e um dos idealizadores do projeto.

Topo


"Não sei nem se estou mais na minha, nem na sua vida"
"Não percebi correntes me prendendo aqui até o instante em que tentei partir."
Fã-Clube Oficial Dado Villa-Lobos. All rights reserved.
Developed by Roberta Raquel Leismann