LEGIÃO URBANA - Letras











HISTÓRIA

FORMAÇÕES

DISCOGRAFIA

LETRAS:

CIFRAS

UMA OUTRA ESTAÇÃO

Período de Gravação: 1996 a 1997
Data de lançamento: 18 de Julho de 1997
Produzido por: Legião Urbana

RIDING SONG
(Trechos de uma entrevista gravada em 1986)
Música: Dado Villa-Lobos/ Renato Russo/ Marcelo Bonfá

"- Eu sou Renato Russo. Eu escrevo as letras, eu canto. Nasci no dia 27 de março, eu tenho 23 anos e sou Áries e ascendente em Peixes. Eu trabalhava com Jornalismo, rádio, era professor de Inglês também e ... comecei a trabalhar com 17 anos e tudo mas só que, de repente, tocar Rock era uma coisa que eu gostava mais de fazer e, como deu certo, eu continuo fazendo isso até hoje".

"- Meu nome é Dado Villa-Lobos, sou guitarrista da Legião Urbana, nasci dia 29 de Junho de 65, tenho 21 anos. Cheguei em Brasília em torno de 79, cursei meu segundo grau, consegui entrar na faculdade de Sociologia, só que não era exatamente o lance que eu tava a fim de fazer. Muito teórico, não tem nada de praticidade. Enfim, aí meu lance era, de repente, fazer música".

"- Eu sou Renato Rocha, baixista do Legião Urbana, tenho 25 anos, adoro esportes, adoro corrida de automóvel, sou de Brasília também. Adoro música, jazz, rock, adoro Dead Kennedy's, cursei metade do meu segundo grau, parei de estudar porque eu gostava de fazer esporte."

"Oi, meu nome é Marcelo Bonfá. Nasci em 65, sou do signo de Aquários, Gosto de esportes aquáticos, gosto de desenhar, gosto de música. Saí da escola depois que eu terminei meu segundo grau. Agora toco bateria na Legião Urbana"

Eu já sei o que eu vou Ser quando crescer.

UMA OUTRA ESTAÇÃO
Letra: Renato Russo

Sei que não tenho a força que tens
Se me vejo feliz quase sempre exijo um talvez
Ela mora perto de um vulcão
E meu coração suburbano espera riquezas maiores
Eu sigo o calendário maia
E sou descendente dos astecas

Hoje vai ter prova
Mas no final da aula
Acho que tem futebol
Gosto quando estou feliz

Gosto quando sorris para mim
Estou longe, longe
Estou em outra estação
Não me digam como deve ser
Gosto do jeito que sou

Quem insistir em julgar os outros
Sempre tem alguma coisa para esconder
Teu corpo alimenta seu espírito
Teu espírito alegra minha mente
Tua mente descansa meu corpo
Teu corpo aceita o meu como a um irmão
Todos fazem promessas demais
Temos muito o que aprender
É um feitiço tão latino
Essa preguiça ser feitiço
Mas tudo bem
Voltarás na terça-feira
És fogo e gelo ao mesmo tempo
E vai ser bom

Do Equador, da Venezuela, do Uruguai

Teremos o fim-de-semana só para nós
Venha comigo
Não tenha medo
Tem muita gente
Que pensa o mesmo
E estou longe, longe
Estou em outra estação.

AS FLORES DO MAL
Letra: Renato Russo

Eu quis você e me perdi
Você não viu, ou eu não senti
Não acredito, nem vou julgar
Você sorriu, ficou e quis me provocar
Quis dar uma volta em todo mundo
Mas não é bem assim que as coisas são
Seu interesse é só traição

Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais

Tua indecência não me serve mais
Tão decadente que tanto faz
Quais são as regras?
O que ficou?

O seu cinismo, essa sedução
Volta pro esgoto baby
Vê se alguém lhe quer
O que ficou é esse modelito da estação passada
Extorsão e drogas demais
Todos já sabem o que você faz
Teu perfume barato
Teus truques banais
Você acabou ficando pra trás

Porque...
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais

Volta pro esgoto baby
Vê se alguém lhe quer.

LA MAISON DE DIEU
Letra: Renato Russo

Se dez batalhões viessem à minha rua
E vinte mil soldados batessem à minha porta
À sua procura
Eu não diria nada
Porque lhe dei minha palavra

Teu corpo branco já pegando pêlo
Me lembra o tempo em que você era pequeno
Não pretendo me aproveitar
E de qualquer forma quem volta
Sozinho pra casa sou eu

Sexo compra dinheiro e companhia
Mas nunca amor e amizade, eu acho
E depois de um dia difícil
Pensei ter visto você
Entrar pela minha janela e dizer
- Eu sou a tua morte
Vim conversar contigo
Vim te pedir abrigo
Preciso do teu calor

Eu sou
Eu sou
Eu sou a pátria que lhe esqueceu
o carrasco que lhe torturou
o general que lhe arrancou os olhos
o sangue inocente
de todos os desaparecidos

O choque elétrico e os gritos
- Parem por favor, isso dói

Eu sou
Eu sou
Eu sou a tua morte
Vim lhe visitar como amigo
Devemos flertar com o perigo
Seguir nossos instintos primitivos
Quem sabe não serão estes
Nossos últimos momentos divertidos?

Eu sou a lembrança do terror
De uma revolução de merda
De generais e de um exército de merda
Não, nunca poderemos esquecer
Nem devemos perdoar
Eu não anistiei ninguém

Abra os olhos e o coração
Estejamos alertas
Porque o terror continua
Só mudou de cheiro
E de uniforme

Eu sou a tua morte
E lhe quero bem
Esqueça o mundo, vim lhe explicar o que virá
Porque eu sou, eu sou, eu sou.

CLARISSE
Letra: Renato Russo

Estou cansado de ser vilipendiado, incompreendido e descartado
Quem diz que me entende nunca quis saber
Aquele menino foi internado numa clínica
Dizem que por falta de atenção dos amigos, das lembranças
Dos sonhos que se configuram tristes e inertes
Como uma ampulheta imóvel, não se mexe, não se move, não trabalha
E Clarisse está trancada no banheiro
E faz marcas no seu corpo com seu pequeno canivete
Deitada no canto, seus tornozelos sangram
E a dor é menor do que parece
Quando ela se corta ela se esquece
Que é impossível ter da vida calma e força
Viver em dor, o que ninguém entende
Tentar ser forte a todo e cada amanhecer
Uma de suas amigas já se foi
Quando mais uma ocorrência policial
Ninguém entende, não me olhe assim
Com este semblante de bom-samaritano
Cumprindo o seu dever, como se eu fosse doente
Como se toda essa dor fosse diferente, ou inexistente
Nada existe pra mim, não tente
Você não sabe e não entende
E quando os antidepressivos e os calmantes não fazem mais efeito
Clarisse sabe que a loucura está presente
E sente a essência estranha do que é a morte
Mas esse vazio ela conhece muito bem
De quando em quando é um novo tratamento
Mas o mundo continua sempre o mesmo
O medo de voltar pra casa à noite
Os homens que se esfregam nojentos
No caminho de ida e volta da escola
A falta de esperança e o tormento
De saber que nada é justo e pouco é certo
E que estamos destruindo o futuro
E que a maldade anda sempre aqui por perto
A violência e a injustiça que existe
Contra todas as meninas e mulheres
Um mundo onde a verdade é o avesso
E a alegria já não tem mais endereço
Clarisse está trancada no seu quarto
Com seus discos e seus livros, seu cansaço
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
E esperam que eu cante como antes
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
Mas um dia eu consigo resistir
E vou voar pelo caminho mais bonito
Clarisse só tem quatorze anos.

SCHUBERT LÄNDER
Música: Franz Schubert

Instrumental.


A TEMPESTADE
Letra: Renato Russo

Será que eu sou capaz
De enfrentar o teu amor
Que me traz insegurança
E verdade demais
Será que eu sou capaz?

Veja bem quem eu sou
Com teu amor eu quero que sintas dor
Eu quero ver-te em sangue e ser teu credor
Veja bem quem eu sou

Trouxe flores mortas para ti
Quero rasgar-te e ver o sangue manchar
Toda a pureza que vem do teu olhar
Eu não sei mais sentir.

HIGH NOON (DO NOT FORSAKE ME)
Música: (Odimitri Tiomkin/ Ned Washington)

Instrumental.


COMÉDIA ROMÂNTICA
Letra: Renato Russo

Acho que só agora eu começo a perceber
Tudo o que você me disse
Pelo menos o que lembro que aprendi com você
Está realmente certo

Bem mais certo do que eu queria acreditar
Você gosta mesmo de mim
Se arriscando a me perder assim
Ao me explicar o que eu não quero ouvir

Ainda não estou pronto para saber a verdade
Ou não estava
Até uma estação atrás

Acho que só agora eu começo a ver
Que tudo o que você me disse
É o que você gostaria que tivessem dito pra você
Se o tempo pudesse voltar dessa vez

Sou eu mesmo e serei eu mesmo então
E não há nada de errado comigo, não
Não, não, não

Não preciso de modelos
Não preciso de heróis
Eu tenho meus amigos
E quando a vida dói
Eu tento me concentrar
Num caminho fácil

Sou eu mesmo e serei eu mesmo então
E eu queria que o tempo
Pudesse voltar dessa vez

Oh yeah.

DADO VICIADO
Letra: Renato Russo

Você não tem heroína, então usa Algafan
Viciou os seus primos, talvez sua irmã
Mas aqui não tem Village, rua 42
Me diz prá onde é que é que você vai depois?

Por que você deixou suas veias fecharem?
Não tem mais lugar pras agulhas entrarem
Você não conversa, não quer mais falar
Só tem as agulhas prá lhe ajudar

Cadê o bronze no corpo, os olhos azuis?
O seu corpo tem marca de sangue e pus
Você não sabe se é março ou fevereiro
Trancado o dia inteiro dentro do banheiro

Dado
Dado
Dado
O que fizeram com você?

Cadê os seus planos, cadê as meninas?
Você agora enche a cara e cai pelas esquinas
Eu quero você mas não vou lhe ajudar
Não me peça dinheiro, não vou lhe entregar
Cadê a criança? Meu primo e irmão
Se perdeu por aí, com seringas na mão

Dado
Dado
Dado
O que fizeram com você?

MARCIANOS INVADEM A TERRA
Letra: Renato Russo

Diga adeus e atravesse a rua
Voamos alto depois das duas
Mas as cervejas acabaram e os cigarros também.

Cuidado com a coisa coisando por aí
A coisa coisa sempre e também coisa por aqui
Seqüestra o seu resgate, envenena sua atenção;
É verbo e substantivo/ adjetivo e palavrão.

E o carinha do rádio não quer calar a boca
E quer o meu dinheiro e as minhas opiniões
Ora, se você quiser se divertir
Invente suas próprias canções.

Será que existe vida em Marte?
Janelas de hotéis
Garagens vazias
Fronteiras
Granadas
Lençóis

E existem muitos formatos
Que só têm verniz e não tem invenção
E tudo aquilo contra o que sempre lutam
É exatamente tudo aquilo o que eles são

Marcianos invadem a Terra
Estão inflando o meu ego com ar.
E quando acho que estou quase chegando
Tenho que dobrar mais uma esquina
E mesmo se eu tiver a minha liberdade
Não tenho tanto tempo assim
E mesmo se eu tiver a minha liberdade:
"Será que existe vida em Marte?"

ANTES DAS SEIS
Letra: Renato Russo

Quem inventou o amor?
Me explica por favor
Quem inventou o amor?
Me explica por favor

Vem e me diz o que aconteceu
Faz de conta que passou
Quem inventou o amor?
Me explica por favor

Daqui vejo seu descanso
Perto do seu travesseiro
Depois quero ver se acerto
Dos dois quem acorda primeiro

Quem inventou o amor?
Me explica por favor
Quem inventou o amor?
Me explica por favor

Enquanto a vida vai e vem
Você procura achar alguém
Que um dia possa lhe dizer
- Quero ficar só com você

Quem inventou o amor?

MARIANE
Letra: Renato Russo

I've been working all day
I've been thinking a lot
I've been doing some things
That are not quite right
I've been thinking about you
I've been thinking about you
When will you return?

I've been working all day
I've been thinking a lot
I've been lost in the morning
I don't know what it costs
Will you find me there?

And I guess it's just a phase
I don't know where I'm going
And I guess it's just a phase
I don't know where I'm going
And I guess it's just a phase
I don't know where I'm going
And I guess it's just a phase
I don't know where I'm going

I've been working all day
I've been thinking a lot
I've been lost in the morning
I don't know what it costs
I don't think about you
I will be able to do
Will you let me be?

And I don't know where I'm going
I guess it's just a phase
And I don't know where I'm going
I guess it's just a phase

And I don't know where I'm going
I guess it's just a phase
And I don't know where I'm going
I guess it's just a phase.

SAGRADO CORAÇÃO
Letra: Renato Russo

Sei que tenho um coração
Mas é difícil de explicar
De falar de bondade e gratidão
E estas coisa que ninguém gosta de falar

Falam de um lugar
Mas onde é que está?
Onde há virtude e inteligência
E as pessoas são boas e sensíveis
E que a luz no coração
É o que pode me salvar
Mas não acredito nisso
Tento mas é só de vez em quando

Onde está este lugar?
Onde está essa luz?
Se o que vejo é tão triste
E o que fazemos tão errado?

E me disseram! Este lugar pode estar sempre ao seu lado
E a alegria dentro de você
Porque sua vida é luz

E quando vi seus olhos
E a alegria no seu corpo
E o sorriso nos seus lábios
Eu quase acreditei
Mas é tão difícil

Por isso lhe peço um favor
Pense em mim, ore por mim
E me diga: - este lugar distante está dentro de você
E me diga que nossa vida é luz
Diga que nossa vida é luz
Me fale do sagrado coração
Porque eu preciso de ajuda.

TRAVESSIA DO EIXÃO
Letra: Nonato Veras
Música: Nicolas Behr

Nossa Senhora do Cerrado
Protetora dos pedestres
Que atravessam o Eixão
Às seis horas da tarde
Fazei com que eu chegue são e salvo
Na casa da Noélia

Nono... Nonô... Nonô... Nonônô...

Topo


"Não sei nem se estou mais na minha, nem na sua vida"
"Não percebi correntes me prendendo aqui até o instante em que tentei partir."
Fã-Clube Oficial Dado Villa-Lobos. All rights reserved.
Developed by Roberta Raquel Leismann